domingo, 25 de setembro de 2011

A relação Expressionista e Impressionista nas obras de arte e nas obras literárias.





Este presente trabalho tem por objetivo apresentar qual a relação do Expressionismo e do Impressionismo das obras e da arte de Monet e qual é a sua relação nas obras literárias se tornando um importante componente na compreensão da obra de Joaquim Manoel de Macedo em a “moreninha” e na obra de “O mulato” de Aluisio de Azevedo, retratando o Naturalismo brasileiro, o Realismo e tendo como tema principal o Romantismo.
            A relação do Expressionismo e do Impressionismo nas obras de arte é que ambos são totalmente contrários, o  Impressionismo utiliza-se de luz e movimento para expressar o mundo exterior enquanto que o Expressionismo buscou – se a liberdade das cores para expressar o mundo interior, um movimento se preocupava com a exterioridade e o outro com a interioridade.
O Impressionismo este relacionado com os elementos da natureza e com a beleza da luz do sol, as cores escuras jamais entram nas obras impressionistas e os pintores tinham essa preocupação, todos captavam para as suas obras o momento como elemento chave.
  O expressionismo era o contrário, pois, expressava os sentimentos humanos e a subjetividade de capturar o drama, o sofrimento, o medo, a solidão e a miséria.
As cores fortes intensas e contrastantes entravam neste tema, pesados e sobrecarregados de emoções fortes e psicológicas que distorciam a realidade.
             Nas obras literárias os movimentos tiveram as mesmas relações, ou seja, o realismo se compara com o Expressionismo porque ambos têm a preocupação em retratar o ser humano e de apresentarem temas psicológicos, mas uma preocupação em retratar o ser humano e de apresentarem temas psicológicos, mas um apresenta a subjetividade (expressionista) e o outro o Realismo apresenta a objetividade, porém, descrevem a realidade. Na obra “o mulato”, um dos primeiros romances naturalistas brasileiros, o autor Aluisio de Azevedo escreve a realidade da obra de forma natural e sem fantasiá-la, retratando o mulato em seus aspectos negativos da natureza humana, as injustiças sociais, de forma clara, e equilibrada, mas também o que faz a obra naturalista são os aspectos do determinismo social, biológicos na forma como ele retrata o personagem.
Apresentando como no expressionismo a miséria urbana, o enfoque das classes sociais e a degradação do individuo. O Impressionismo se compara com o Romantismo porque ambos se preocupam em retratar a natureza exaltada, transformando-se quase numa religião. Diferenciando quanto aos aspectos da luz que são retratadas nas obras, pois, o romantismo preza pela luz, mas valoriza o passado enquanto que o expressionismo vem para a luz e quebra das imagens do passado. Monet capturou bem esse momento e o transformou em algo real, bem visível as nuances da natureza e a luz do sol.
Na obra “A moreninha” de Joaquim Manuel de Macedo trata-se de um romance que nos leva de volta ao passado caracterizando a época com determinadas escolhas de palavras e a revelação do conflito amoroso, se enquadrando no Expressionismo porque expressa naquele momento o sentimento de um amor platônico.
No Brasil “O Realismo” se deu pela poesia parnasiana que se tratava de aspectos formais e de conteúdo artístico de arte pela arte, na sua perfeição, que teve força na semana de arte moderna, sendo muito criticado pelo publico que nada entendia desse movimento. A passagem do Romantismo para o Realismo representa a passagem do belo e ideal para o real e objetivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário